terça-feira, 16 de agosto de 2016

Potencial econômico deve valer mais que favoritismo, diz comentarista político

Compartilhar
"Não acredito que ninguém esteja eleito". É dessa maneira que o professor Antonio Gomes, professor aposentado dos quadros da UERN, vê a campanha hoje em Mossoró. A análise foi feita no programa Cenário Político, da TV Cabo Mossoró. "Uma pesquisa realizada pela Unicamp determinou que se a pessoa (candidato) é nova e tem potencial econômico, pode fazer uma modificação na campanha". O comentarista acredita que, no âmbito local, quem tiver planejamento e uma melhor estratégia de marketing é quem vai levar.

Mais do que favoritismo, o discurso e o corpo a corpo podem modificar o clima da campanha. "Hoje, todos têm chance e têm que desenvolver trabalho para chegar a reta final", complementa.

Em Mossoró, o comentarista diz não acreditar numa polarização. E que, da maneira que as candidaturas se apresentam, mais gente deve chegar no circuito e com uma diferença pequena de quem ganhar. "No final pode ter um afunilamento, mas sem margem significativa de diferença de votos", finaliza.