Banner CMM

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Veja as entidades e serviços que param as atividades em Mossoró durante a greve geral nesta sexta-feira

Compartilhar
A greve geral que está marcada para esta sexta-feira (28) deve ter força também em Mossoró. Esta é a expectativa das entidades organizadoras do movimento, que aderem ao calendário nacional de luta de todas as centrais sindicais do país contra as reformas da Previdência e trabalhista, propostas pelo governo Michel Temer, em tramitação no Congresso Nacional.

Em Mossoró, o movimento terá a adesão de professores da rede estadual, servidores municipais, especialmente da saúde e educação, e petroleiros. 

Os agentes penitenciários federais também vão paralisar as atividades, a partir das 8 horas.

Algumas escolas particulares da cidade também suspenderam as aulas. As unidades de ensino católicas Colégio Sagrado Coração de Maria e Colégio Diocesano seguem decisão da igreja em apoio aos trabalhadores. Os institutos Gurilândia e Alvorada também comunicam interrupção das aulas nesta sexta-feira "em virtude da parada nacional em defesa dos direitos dos trabalhadores", conforme comunicado. 

A Associação de Delegados de Polícia Civil do RN (ADEPOL/RN) divulga apoio ao movimento no estado e a realização de atividades institucionais e assembleia durante o dia.

Servidores da CAERN e da Receita Federal em Mossoró também trocaram o dia de trabalho pelo protesto.

Bancos

O Sindicato dos Bancários também informa que a categoria em Mossoró e região Oeste deve paralisar as atividades a partir das 00h deste dia 28, pelo dia de greve geral.

A instituição esclarece que com a aprovação em Assembleia, o movimento foi legitimado e os bancários estão habilitados a paralisar a prestação dos serviços, ressalvados os trabalhadores que atuam em área de compensação bancária, que deverão organizar, juntamente com o Sindicato, um esquema especial de trabalho.

No que se refere a eventual corte de salário do dia 28 de abril, a lei determina que a “greve suspende o contrato de trabalho, devendo as relações obrigacionais, durante o período, ser regidas pelo acordo, convenção, laudo arbitral ou decisão da Justiça do Trabalho” (artigo 7º da Lei 7.783/89).

Isso quer dizer que o Sindicato buscará, junto aos bancos, o necessário abono ou compensação do dia parado e, se não houver negociação satisfatória acerca deste tema, moverá ação de cobrança na Justiça do Trabalho pleiteando o reconhecimento da legalidade da greve e a restituição de eventuais descontos, inclusive sobre o repouso semanal remunerado.

Fórum em Defesa da Previdência

O Fórum Permanente em Defesa da Previdência e da Cidadania, formado em Mossoró, já declarou, anteriormente, estar ao lado de todas as mobilizações realizadas contra medidas do Governo Federal que sejam prejudiciais ao trabalhador brasileiro. 

O Fórum atualmente é composto por representantes da Diocese de Mossoró, OAB Mossoró, Direção Regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTE), Direção Regional do Sindicato dos Servidores da Administração Direta e Indireta(SINAI), Associação dos Ministros Evangélicos (AMÉM) e representantes da política legislativa local e estadual.

Confira a programação da greve geral em Mossoró:

MANHÃ:
06h - Ato Público em frente à Base da Petrobrás em Mossoró;
08h - Assembleia Pública do SINTE no Largo da Igreja São João, na Avenida Felipe Camarão. Em seguida as demais entidades e movimentos se juntam para o cortejo até a catedral de Santa Luzia no centro, onde ocorrerá o ato público com todas as categorias.

TARDE:
15h – Concentração no largo da Igreja do alto de São Manuel. Em seguida cortejo até a Praça Rodolfo Fernandes, “Praça do Pax”, Centro, onde ocorre o ato público de encerramento do Dia Nacional de Greve Geral Unificada de todas as Centrais Sindicais em Mossoró.

*Editada em 28/04/2017, às 11h53.