Banner CMM

quarta-feira, 23 de maio de 2018

ALRN aprova reajuste do piso dos professores

Compartilhar
Servidores da educação acompanharam sessão na AL/RN
(Foto: Lenilton Lima)
Foi aprovado na Assembleia Legislativa, na manhã de hoje (23), o projeto de lei que vai garantir o pagamento da correção do Piso Salarial 2018 da Rede Estadual de ensino.

Agora, a lei deve ser encaminhada e sancionada pelo governador. 

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTE/RN) deve buscar a Secretaria de Administração com o objetivo de pressionar o Governo, para que a lei seja sancionada e o pagamento ocorra ainda neste mês de maio.

“Se o governo não cumprir o acordo, iremos provocar o desembargador Dr. Glauber Rêgo. Não tem mais desculpas para não pagar o reajuste do Piso dos meses de Abril e maio”, afirmou o coordenador geral do SINTE RN, professor Rômulo Arnaud.

A correção do Piso é fruto do acordo judicial conseguido na greve da Rede Estadual, realizada entre 22 de março e 19 de abril deste ano. 

*Com informações da Assessoria de Imprensa/SINTE RN

Nos bastidores, Robinson garante que já tem 14 partidos em torno de sua reeleição

Compartilhar
O governador Robinson Faria só não divulga quais são os partidos que diz estar ao seu lado em torno do projeto em busca da reeleição. Afirma pros seus que só vai tornar público quando estiver tudo certo.

Ou seja, ele ainda precisa de mais garantias de que esses pequenos partidos, de prefeituras de municípios menores do estado estarão mesmo ao seu lado.

Na convenção, em 2016, Silveira mostrava viabilidade
eleitoral, mas não conseguiu viabilidade política
para ser eleito (Foto: arquivo)
Até agora, de concreto mesmo são as muitas visitas dessas pequenas lideranças ao seu gabinete, e do governador a esses municípios. Tudo registrado nas redes sociais de Robinson, que têm exposto a estratégia do gestor que, na falta de apoio das lideranças das maiores cidades do RN, busca reunir em torno de si várias pequenas legendas para se viabilizar eleitoralmente.

Estratégia igual à utilizada pelo ex-aliado Francisco José Junior na busca pela reeleição à prefeitura de Mossoró, em 2016.

Lembrando que Francisco conseguiu o apoio de 14 partidos, mas não conseguiu o apoio do povo, e terminou por desistir da candidatura em meio à campanha eleitoral.

Observemos.  

Falta de quórum na Câmara de Mossoró expõe bastidores do veto sobre construção civil

Compartilhar
No segundo dia em que a pauta da Câmara Municipal de Mossoró é trancada, o debate nos bastidores fica por conta da apreciação do veto da Prefeitura sobre o  projeto que trata das contratações na construção civil em Mossoró, de autoria da vereadora Sandra Rosado.

De acordo com a presidente Izabel Montenegro, em entrevista à TV Cabo Mossoró (TCM), a sessão foi esvaziada pelas vereadoras Sandra Rosado (PSDB) e Isolda Dantas (PT), que se retiraram estrategicamente ao perceber o baixo número de vereadores em plenário. 

Izabel explica que é contra o projeto apresentado pela colega do PSDB e diz que o documento é idêntico ao de sua autoria que foi rejeitado pela CCJ na Casa, presidida por Sandra. "Rejeitaram por ser inconstitucional, já que essa matéria compete ao poder Executivo Federal".

Sandra Rosado

Sandra Rosado defende que o projeto dela é diferente. Segundo a vereadora, não é reserva de mercado e não se refere a lei trabalhista. "É outra instância, não reza nenhum ponto à respeito da relação de trabalho, apenas determina cotas". 

Ela questiona o fato da presidência colocar a matéria em pauta.

"Houve uma mudança em relação à direção da Casa, que insistiu colocar em pauta ontem (22). O projeto chegou em 5 de maio à Câmara, tinha 30 dias úteis para tramitar, tinha até 26 de junho. Não posse entender que acerto foi feito para que fosse votado sem que pudesse haver um esclarecimento sobre ele", afirma. 

Veja abaixo reportagem que explica o projeto, a manifestação dos construtores civis e o veto da Prefeitura. 

Reportagem exibida em 05/04/2018
Programa Cenário Político (TCM)

Em greve há quase dois meses, professores de Areia Branca entregam ofício à prefeita

Compartilhar
O ofício foi entregue nas mãos da prefeita
(Foto: cedida)
Desde o dia 9 de abril os servidores da educação de Areia Branca estão em greve e esperam diálogo com a Prefeitura.

Diante da falta de resposta por parte do Executivo areibranquense, os professores aproveitaram a aparição pública da prefeita Iraneide, durante visita do governador Robinson Faria, no último sábado (19), e entregaram um ofício à gestora.

Além do reajuste, com retroativo a janeiro, os professores solicitam reunião para tratar do Plano de Cargos, Carreira e Salário.

O documento reitera Ofício entregue no mês de abril, mas que a prefeitura até agora não sinalizou retorno.

Manifestação

A visita de Robinson Faria à Areia Branca teve também uma intensa manifestação dos servidores nas ruas da cidade. Embora o alvo fosse a prefeita do município, o governador conviveu com as palavras de protesto, cartazes e apitaço.

Veja como foi:




segunda-feira, 21 de maio de 2018

Projeto que institui campanha de combate à depressão é aprovado por Comissão na Câmara de Mossoró

Compartilhar
(Foto: divulgação/CMM)
A Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara Municipal de Mossoró aprovou, em reunião realizada nesta segunda-feira (21), projeto de autoria do vereador Manoel Bezerra (PRTB) que institui a Campanha Permanente de Informação, Prevenção e Combate à Prevenção.

O objetivo do projeto é ampliar a informação e o conhecimento sobre a depressão, suas causas, sintomas, meios de prevenção e tratamento. “O projeto também visa incentivar a busca pelo diagnóstico e tratamento dos pacientes e combater o preconceito que cerca a depressão”, explica o vereador Manoel Bezerra, no projeto.

Medicamentos

Outro projeto aprovado foi o da presidente da Câmara, vereadora Izabel Montenegro (MDB). De acordo com o projeto, a relação dos medicamentos que são fornecidos de forma gratuita pela Prefeitura de Mossoró deverá constar na página oficial da Prefeitura, na Internet, em ícone fácil e acessível.

Ao todo, oito projetos foram analisados. Os projetos aprovados pela Comissão de Saúde seguirão para votação no plenário da Câmara, e se aprovados serão encaminhados ao Poder Executivo.

*Com informações da Assessoria de Imprensa CMM