Banner CMM

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Prefeitura de Mossoró explica pagamentos atrasados de empresas terceirizadas

Compartilhar
Em reunião na controladoria da Prefeitura de Mossoró, hoje (18), uma comissão da Câmara Municipal de Mossoró, formada pelos vereadores Izabel Montenegro (presidente da Casa), Manoel Bezerra, Raério, Ozaniel Mesquita e Petras Vinícius, reforçou pleito pela atualização do pagamento dos servidores terceirizados do Município.

Acompanhado de trabalhadores, os parlamentares foram recebidos pela controladora geral da Prefeitura, Fátima Marques, e pelo secretário municipal de Planejamento, Aldo Fernandes, e relataram a continuidade de reclamação de servidores terceirizados, em razão de atraso de salários. Fala-se de até oito meses pendentes.

“Estamos preocupados e gostaríamos de saber a real situação. Profissionais terceirizados do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), por exemplo, continuam com salários atrasados e podem fazer uma paralisação. Se isso ocorrer, o Samu ficará comprometido, porque não teríamos servidores suficientes”, alerta o vereador Ozaniel Mesquita, também servidor do Samu.

Dívidas com terceirizados se arrasta desde 2015
(Foto: redes sociais)
Resposta

Fátima Marques disse ser pertinente a preocupação, e confirmou existência de dívidas da Prefeitura com empresas de terceirização de mão de obra, embora, segundo ela, o Município tenha pago mais de R$ 20 milhões para esse fim em 2017. “Esse montante teria dado para custear 14 meses de salários”, informou.

O problema, acrescenta a controladora, é que alguns dos pagamentos às empresas não chegam aos trabalhadores. “A Prefeitura faz os pagamentos, mas não tem como interferir na forma como empresas administram esses recursos”, explica.

Saídas

Para resolver o problema, Fátima Marques disse que o Município está construindo uma nova proposta de pagamento às empresas, já que o caso envolve recursos vultuosos, e revisando contratos de mão de obra terceirizada.

“Também estamos estudando alternativas para assegurar que o trabalhador receba o salário, quando a Prefeitura fizer o pagamento à empresa. A intenção é aplicar esses mecanismos nos novos contratos de terceirização do Município”, informa.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Mossoró receberá investimento de R$ 26 mi em habitação em 2018

Compartilhar
O panorama é positivo para o setor imobiliário em Mossoró em 2018. A Caixa investirá R$ 26 milhões, este ano, no município. O anúncio foi feito, hoje (18), pelo gerente geral em Mossoró, Julierme Torres, durante visita de comissão de vereadores à agência central do banco.

Participaram da audiência, solicitada pela Câmara, a presidente da Casa, Izabel Montenegro (MDB), e os vereadores Ozaniel Mesquita (PR), Petras Vinícius (DEM), Raério (PRB) e Manoel Bezerra (PRTB). A reunião tratou da redução do déficit habitacional em Mossoró, a partir do programa Minha Casa, Minha Vida.

Os R$ 26 milhões, segundo Julierme Torres, serão investidos em projetos habitacionais públicos e privados. A informação respondeu questionamento de vereadores, sobre empreendimentos paralisados para pessoas de baixa renda, financiados pela Caixa.

É o caso do conjunto vertical Mossoró I, II e III, com mais de 800 unidades, próximo ao Abolição IV. O gerente explicou que a obra será destravada no segundo semestre deste ano, com a contratação de nova empresa, para concluir o residencial.

(Foto: divulgação)
Demandas

Os vereadores também abordaram possível venda de casas do recém entregue conjunto Odete Rosado, o que é ilegal. A gerência da Caixa reiterou que está acompanhando a situação de perto e que, se for comprovado, o beneficiário pode perder o imóvel.

A reunião tratou ainda de casas fechadas no conjunto Santa Júlia; necessidade de atualizar o Plano Diretor; construção de 500 casas próximo ao conjunto Odete Rosado; projetos sociais para beneficiários das moradias; entre outros assuntos.

Quatorze deputados do RN aprovam mais saques do Fundo Previdenciário

Compartilhar

A Assembleia Legislativa acabou de aprovar o projeto que autoriza o Governo do Estado a realizar novos saques no Fundo Financeiro (Funfir). Quatorze deputados votaram a favor e nove contra. A proposta consta no pacote de ajuste fiscal, enviado pelo governo Robinson Faria à Casa Legislativa.

Um detalhe é que o projeto foi aprovado sem nem ao menos o governo ter informado quanto ainda resta de aplicações no Funfir, muito menos a multa que o estado vai pagar por sacar esses recursos que se encontram aplicados. Estima-se que os valores aplicados cheguem a R$ 400 milhões.

O governo pretende, com esse novo saque, pagar salários atrasados de aposentados e pensionistas, que ainda não receberam os vencimentos do mês de dezembro.

Também acabou de ser aprovado o projeto que reestrutura a Fundação Estadual da Criança e do Adolescente (Fundac), que passa a ser Fundação de Atendimento Socioeducativo do Estado do Rio Grande do Norte (Fundase). Essa proposta foi aprovada por unanimidade de votos. O único ausenta à sessão de hoje foi o deputado Nelter Queiroz (PMDB).


Na sessão que aprovou o projeto que autoriza novo saque no Fundo Financeiro (Funfir), 23 dos 24 deputados estaduais do RN estiveram presentes. 

A proposta aprovada na tarde desta quinta-feira (18) contabilizou 14 votos favoráveis e nove contra.

Apenas o deputado Nelter Queiroz (PMDB) esteve ausente à sessão.

Veja como votaram os 23 deputados:

Contra: Larissa Rosado (PSB), Hermano Morais (PMDB), Getúlio Rego (DEM), Carlos Augusto Maia (PSD), Márcia Maia (PSDB), George Soares (PR), Kelps Lima (Solidariedade), Gustavo Fernandes (PMDB) e Fernando Mineiro (PT).

A Favor: Galego Torquato (PSD), Dison Lisboa (PSD), Souza (PHS), Vivaldo Costa (PROS), Gustavo Carvalho (PSDB), Cristiane Dantas (PCdoB), Albert Dickson (Pros), Jacó Jacome (PSD), José Adécio (DEM), José Dias (PSDB), Raimundo Fernandes (PSDB), Ricardo Motta (PSB), Ezequiel Ferreira (PSDB) e Tomba Farias (PSB). 

Conversa de Alpendre mostra entrevista exclusiva com Garibaldi Filho

Compartilhar
Seguindo as exibições do Conversa de Alpendre, programa de verão da TV Cabo Mossoró, TCM, a edição desta quinta-feira mostra bate-papo com o senador Garibaldi Alves Filho.

Em visita ao clima ameno dos alpendres de Tibau, o novo presidente do MDB no RN abre o coração e fala sobre temas delicados.

Admite que essa é a eleição mais difícil da sua vida, e que a ausência de Henrique Alves dificulta não só o pleito, mas também interrompe a relação harmônica de um perfil político construído pelos dois.

Diz acreditar que, até as eleições, o MDB pode se recuperar da situação em que se encontra se tiver êxito econômico, mas que do ponto de vista ético percebe a dificuldade com tantas denúncias e processos na Justiça.

Entre outros temas polêmicos, Garibaldi também faz um resgate histórico do MDB e critica a mudança de nome do partido.

Essa edição do programa traz ainda uma conversa com o deputado federal Walter Alves (MDB), e com a presidente da comissão provisória do partido em Mossoró e presidente da Câmara Municipal, vereadora Izabel Montenegro. 

O Conversa de Alpendre vai ao ar nesta quinta-feira (18). às 20h30 no Canal 10 TCM. Pode ser acompanhado também pela internet, no tcm10hd.com.br ou no smartphone pelo aplicativo TCM Play.  

 

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

PT e PCdoB do RN querem Zenaide Maia para as eleições deste ano

Compartilhar
(Foto: redes sociais)
Se depender dos dois maiores partidos da esquerda no Brasil, a deputada Zenaide Maia (PR) já tem destino certo para a disputa ao senado.

O PT já conversou com a parlamentar. Segundo a senadora Fátima Bezerra, no programa Conversa de Alpendre, da TCM, Zenaide deve seguir para o Partido dos Trabalhadores.

O mesmo afirma o PCdoB. Nos bastidores, dirigentes do partido comunista dizem que o convite já foi feito, e que a sigla é a melhor saída para a pré-candidata ao senado, uma vez que o PT apresenta um desgaste que pode prejudicar os objetivos de Zenaide.

Zenaide Maia, criada pelo PR do irmão João Maia, durante todo o mandato de deputada federal, nadou contra a corrente de suas origens partidárias e contrariou a sigla votando contra o impeachment e todos os projetos e medidas do Governo Temer, bem como a favor das denúncias contra o presidente.