Banner CMM

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Página "patrocinada" ataca Rosalba com notícia distorcida

Compartilhar
Do Blog Carlos Santos

Há vários dias que postagem na rede social Facebook (Internet), com link para matéria numa página obscura, alveja a candidata a prefeito de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP), da Coligação Força do Povo.

O material é massificado com estratégia suplementar de compartilhamento e comentários em massa contra a candidata.

Foto: reprodução/blog Carlos Santos
A situação é no minimo muito estranha. Estranhíssima. A postagem tem título para causar impacto: “Rosalba Ciarlini é CONDENADA (com letras maiúsculas) em mais um processo”.

A página aparece no Facebook como material “Patrocinado”, ou seja, pago. O agravante é que na identificação da página, sob o endereço www.noticiaram.com.br (veja AQUI), não existe nada. A informação que aparece é essa: “Não é possível acessar este site. Não foi possível encontra o endereço (…)”.

Sobre a matéria abordada em si, outro link anexo da página patrocinada remete o internauta a outro endereço: www.jornaldeesquina.com.br (veja AQUI). É um site fora do eixo de interesses político, social e jornalístico do Rio Grande do Norte.

Mesmo assim, há link para postagem sobre o assunto que trata a “chamada”. Esse site tem a matéria sob o título “Rosalba Ciarlini é Condenada e fica inelegível” (veja AQUI). No seu bojo há um ziguezague textual que conflita com o que está na manchete, além de agredir alguns fatos. “Ela corre sérios riscos de ficar inelegível para estas eleições”, afirma o texto, ao contrário do que é asseverado no título: “(…) é condenada e fica inelegível.”
O assunto tratado é a manutenção de decisão no âmbito do Tribunal de Justiça do RN (TJRN), em desfavor da ex-prefeita Rosalba (veja AQUI), dissecado tecnicamente pelo Blog Carlos Santos em várias matérias.

O mesmo caso é foco de ação no âmbito da Justiça Eleitoral (veja AQUI), em que concorrentes da candidata pedem cassação do seu pedido de registro de candidatura.
Baixaria que se repete

Nesse enredo, o mais confiável mesmo é a certeza de que novamente na política de Mossoró se aposta no que há de pior na Internet: a farsa. A baixaria é regra e não exceção.

Patrocina-se fakes (páginas falsas) para ataques com fins claros de desconstrução da imagem alheia. Em vez do debate, a delinquência remunerada.

Foi assim no rumoroso caso do “Blog Paulo Doido” (veja AQUI) que já teve as primeiras condenações judiciais. Há poucos meses, o prefeito e candidato à reeleição, Francisco José Júnior (PSD), também foi objeto de cerco cibernético com uso de página falsa, o “Fora, Silveira”. Ele, também, buscou o caminho da Justiça para identificar culpados.

Antes da campanha, em julho, o método da panfletagem às sombras já atingira Rosalba (veja AQUI). Foram espalhados panfletos contra ela, ‘denunciando’ suposto acordão político. O caso é outro episódio que seguirá os corredores e labirintos do Judiciário.