Banner CMM

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Escola diz que vai rever determinação de vestimenta dos estudantes

Compartilhar
Dois dias após a polêmica (veja aqui), finalmente o Blog conseguiu conversar com a direção da Escola Estadual Aída Ramalho.

O vice-diretor da unidade, Geomar Martins, explicou o que aconteceu na tarde da última segunda-feira. "O aluno Matheus chegou de vestido na escola e o porteiro não o deixou entrar porque achou o vestido curto. A direção foi chamada. A diretora o convidou a trocar o vestido por uma saia mais longa ou uma calça", conta.

Apesar da discussão de gênero e sexualidade ter sido levantada por alguns estudantes e pelo grêmio estudantil da escola, a opção sexual do aluno, segundo o vice-diretor, não é levada em consideração pela direção, e sim as regras de vestimentas definidas pelo Conselho Escolar.   

"Vai haver reunião do Conselho e nós vamos sentar para rever essa situação", admite, afirmando que o fardamento não é obrigatório, mas a escola aconselha que o aluno vá de calça e camisa.

Gilmar Martins afirma que, em alguns casos, a menina usa vestido, com alguma justificativa. "Se usar vestido, nós determinamos que seja na altura do joelho, ou longo".

Saiaço

O vice-diretor afirma que nesta terça-feira (25), um dia após o ocorrido, alguns alunos já foram vestidos de saia - do tamanho determinado pela escola - à aula.

Outros estudantes afirmam planejar um "saiaço" (em que os meninos vestem saia para apoiar a causa), para esta quarta-feira.

A direção da escola lançou uma Nota de Esclarecimento sobre a questão nas redes sociais:

Nota de esclarecimento
Ao repúdio de alguns membros q fazem parte do Grêmio Estudantil Glênio Sá da E. E. Aida Ramalho, publicada no dia 24/10/2016, no q diz respeito ao aluno Matheus Melquias do 1°Ano D Vespertino, ser barrado ao tentar entrar na escola.
Em momento algum o aluno foi barrado pq estava de vestido ou por ser gay, até pq cada um escolhe sua opção sexual. 
Em toda instituição de ensino existe um PPP (Projeto Político Pedagógico) elaborado por todos os seguimentos da escola (Equipe pedagógica, funcionários e professores, alunos e pais de alunos). E nele estão todas as normas da escola. 
Uma delas é q os alunos frequente a escola com vestimentas adequadas. O caso do aluno Matheus o vestido estava muito curto. Sendo assim foi solicitado ao mesmo q vestisse um vestido mais longo ou vestisse uma calça. 
Respeitem tb as normas da escola, como tb funcionários e professores para q vcs tb sejam respeitados.
Fica o aviso ao presidente do Grêmio e alguns membros, q calúnia, injúria ou difamação é crime. 
Espero q tenha sido claro sobre a acusação equivocada pelo presidente do Grêmio. 
Procurem o ppp da escola e leiam antes de qualquer atitude.