Banner CMM

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Câmara de Mossoró faz leitura de 169 emendas e recebe médicos cubanos nesta quarta

Compartilhar
O plenário da Câmara Municipal de Mossoró realizou, em sessão ordinária, nesta quarta-feira, a leitura do total de 169 emendas, apresentadas pelos vereadores para aperfeiçoar o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LOA 2017).

Das 169 emendas apresentadas, 71 são emendas modificativas, que tem como objetivo alterar dispositivos do texto do projeto, e 98 aditivas, que visa sugerir o acréscimo de novos dispositivos.

As emendas agora seguem para análise da Comissão de Orçamento, Finanças e Contabilidade, que tem até o próximo dia 18 de novembro para proferir parecer.

No próximo dia 22, o plenário da Casa Legislativa fará a leitura da decisão da Comissão acerca das emendas. No mesmo dia, o plenário deve votar o projeto em si (PL 1188/2016) e, dia 30, os vereadores votarão a matéria em segunda e última votação, encerrando a apreciação da LOA 2017.

A presidente da Comissão de Orçamento, Finanças e Contabilidade, Izabel Montenegro (PMDB), explicou que a análise das emendas seguirá critério exclusivamente técnico.

“Vamos analisar, por exemplo, se a emenda apresentada tem lastro na LDO, Lei de Diretrizes Orçamentária. Isto é, não haverá componente político na apreciação das emendas pela Comissão de Orçamento”, assegurou.

Médicos cubanos

Reunião entre os médicos cubanos e vereadores
(Foto: Walmir Alves)
A Câmara Municipal de Mossoró também recebeu a visita de uma comissão formada por médicos cubanos, que atuam no município no programa Mais Médicos.

Os profissionais solicitaram apoio dos vereadores no encaminhamento do projeto que dispõe sobre o reajuste do auxílio moradia.

Favoráveis ao pleito da categoria, os vereadores se comprometeram em intermediar o diálogo entre os profissionais e o Poder Executivo Municipal, afim de agilizar o encaminhamento do projeto à Casa.

Os médicos cubanos que atuam no município de Mossoró pedem o reajuste do auxílio moradia, que há dois anos permanece congelado no valor de R$ 1.500,00.

De acordo com o médico. Yohendris Lopez, esse aumento foi acordado em conversas anteriores com o prefeito Francisco José Júnior, todavia, o projeto ainda não foi encaminhado à Casa Legislativa.

“Já conversamos com o prefeito anteriormente, ele se mostrou favorável ao pleito, porém não tirou do papel ainda o projeto para ser encaminhado à Câmara para apreciação e votação”, disse Dr. Yohendris Lopez.

O acréscimo acordado anteriormente está fixado no valor de R$ 1.000,00. Atualmente, esse tipo de auxílio pode variar entre R$ 1.500,00 e R$ 3.200,00.

* Assessoria de Imprensa