quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Servidores do SAMU pedem apoio contra o fechamento do serviço e Prefeitura responde

Compartilhar
Ofício encaminhado pela direção do SAMU
Os trabalhadores que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) denunciam péssimas condições de trabalho.

A denúncia foi feita por meio de ofício, assinado pelo diretor do Samu, Gilliano Carlos, encaminhado nesta terça-feira (29) à Prefeitura, ao Ministério Público Estadual e imprensa.

Entre as principais faltas apontadas, o documento traz a carência de material para desinfecção das viaturas, de prestador de serviço para manutenção do material médico-hospitalar, fornecedores de alimentação, água mineral e material de limpeza do prédio, além do atraso no pagamento dos salários dos funcionários.

O diretor pontua que o Serviço só continua funcionando "unicamente pelo interesse dos servidores que são exemplo de luta e coragem".

Nas redes sociais, os funcionários passaram a divulgar uma mensagem pedindo apoio da população contra o fechamento do SAMU Mossoró. Veja a mensagem: 

Os servidores lotados no SAMU  de Mossoró , diante do quadro de abandono do poder público municipal, pedem,em caráter de urgência, a toda comunidade mossoroense o apoio integral para que o SAMU não pare as suas atividades junto à população local. Além de salários e plantões atrasados, faltam, desde materiais necessários ao uso diário das atividades, os serviços de manutenção às  viaturas que prestam o socorro imediato à população. Precisamos ir à luta ! O SAMU é nosso, é do povo de Mossoró.  É dos ricos e dos pobres,  do branco e do preto. Se os seus serviços forem paralisados os maiores prejudicados serão aqueles que não têm as menores condições financeiras, serão realmente os mais humildes do município.  Juntem -se a nós nessa luta!

Prefeitura

Diante da ação, a Prefeitura de Mossoró, através da secretaria de Saúde Pública, encaminhou à imprensa uma nota de esclarecimento sobre o assunto. Confira a nota:

A Secretaria Municipal de Comunicação Social esclarece que todas as providências estão sendo tomadas para a manutenção do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Questões como reabastecimento de material de limpeza e alimentos já foram requisitadas ao fornecedor e deverão chegar na unidade até esta quarta-feira, 30. Já os salários dos restantes dos servidores devem ser pagos ainda esta semana.

Vale destacar que há dois anos o Governo do Estado não repassa recurso para o Samu, como é de sua obrigação. Isso faz com que o município arque com a maior parte do custeio do serviço, para mantê-lo em funcionamento e assim não causar prejuízos à população. 

Todas as medidas estão sendo tomadas, de acordo com a disponibilidade financeira do município. A Prefeitura reitera seu compromisso com a manutenção de seus serviços, mesmo diante desta grave crise econômica nacional.