terça-feira, 29 de maio de 2018

"Com vaia ou sem vaia, eu sou eleito", afirma vereador que pediu arquivamento da CEI

Compartilhar
(Foto: Edilberto Barros)

O vereador governista Manoel Bezerra (PRTB) causou tumulto na sessão ordinária desta terça-feira (29) ao pedir o arquivamento da Comissão Especial de Inquérito (CEI), que investiga contratos da Prefeitura de Mossoró com empresas prestadoras de serviço de limpeza urbana nos anos de 2016 - 2018. A CEI foi instaurada no dia 15 de maio, com os votos dos sete vereadores da oposição.

O parlamentar trouxe a proposta à tona, de repente, quando os vereadores discutiam um projeto relativo à construção civil. "Eu quero propor que o plenário decida sobre essa questão [arquivamento ou prosseguimento da CEI]", afirmou. Ele justificou supostos erros na CEI que "não apresentou um fato certo nem as provas que pretende produzir, além de não especificar o prazo adequado".

Vaias

Ao fazer a proposta, o vereador, que é presidente da CEI do Lixo, foi vaiado por populares que estavam na galeria. "Com vaia ou sem vaia, eu sou eleito", retrucou. Durante entrevista, chegou a negar interferência do Palácio da Resistência, sede do governo municipal, para a proposição de arquivamento da CEI.

A presidente da Câmara, vereadora Izabel Montenegro (MDB), chegou a repreender o parlamentar por ter apresentado a proposta naquele momento. Os ânimos se exaltaram. A oposição protestou. Dos três membros da CEI (Manoel Bezerra - presidente; Emílio Ferreira - relator e Alex do Frango - secretário), apenas Alex do Frango se colocou contrário ao arquivamento.

Murro na mesa

O vereador governista Emílio Ferreira (PSD), relator, chegou a dar um murro na mesa, após a declaração de Manoel Bezerra de que o parlamentar também era a favor do arquivamento da CEI. O pessedista afirmou que é a favor por haver uma investigação dos contratos de limpeza urbana no âmbito do Ministério Público de Contas (MPC).  

A sessão foi encerrada pela presidente da Casa, devido ao tumulto. O tema deve voltar a ser debatido pelos parlamentares na sessão ordinária desta quarta-feira (30).