quinta-feira, 23 de agosto de 2018

MP Eleitoral impugna candidaturas e uma coligação inteira no RN

Compartilhar
O Ministério Público Eleitoral já apresentou impugnações relativas aos pedidos de candidatura. No total são 44 ações. 

É bom lembrar que impugnação é um questionamento das candidaturas e não tem poder de decisão. O prazo final para o TRE se manifestar sobre os pedidos de registros de candidaturas é até 17 de setembro.

Veja abaixo os nomes mais conhecidos que estão com a candidatura contestada pelo MP Eleitoral:

Coligação Trabalho e Superação II (PR, PSB, PSDB, PSD e PROS)
Motivo: a coligação não teria cumprido a cota de gênero, com as 30% de vagas para mulheres.

Bispo Heró (PRTB)
Candidato a Governador 
Motivo: está enquadrado na Lei da Ficha Limpa por irregularidades na gestão partidária do antigo Prona (que se fundiu com o PL dando origem ao PR) em Mossoró.

Geraldo Melo (PSDB)
Candidato ao Senado
Motivo: o ex-senador está na lista de inelegíveis do Tribunal de Contas da União (TCU) por causa de falhas na prestação de contas do PSDB em 1997. A condenação estaria em vigor dentro do que está estabelecido na lei da ficha limpa. 

Magnólia Figueredo (SD)
Candidata ao Senado
Motivo: a ex-atleta é funcionária da Prefeitura de Natal e não teria se desincompatibilizado dentro do prazo para a disputa e não apresentou quitação eleitoral relativa ao pleito de 2016 quando foi candidata a vice-prefeita de Natal.

Fernando Mineiro (PT)
Candidato a Deputado Federal
Motivo: deve uma multa relativa às eleições de 2012. Segundo a assessoria jurídica informou a Agência Saiba Mais, a dívida está quitada desde 2014.

Tomba Farias (PSDB)
Candidato a Deputado Estadual
Motivo: foi condenado por improbidade administrativa por contratar e pagar a uma empresa para prestar um serviço canal de drenagem em área urbana com recursos federais que terminou sendo executado pela própria Prefeitura de Santa Cruz.

*Com informações do Blog do Barreto