segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Gestão Rosalba Ciarlini e as falácias do carnaval

Compartilhar
Por Mykaell Bandeira

Umas das promessas de campanha da prefeita Rosalba Ciarlini era de que a cultura seria prioridade em seu governo. Dois anos de gestão se passaram mas não pudemos visualizar ainda onde estão essas prioridades na gestão municipal. Mas afinal, quando a cultura enfim será prioridade para este governo como prometeram na campanha? Essa é uma pergunta difícil de se responder.

Não há nada além da continuidade do Mossoró Cidade Junina e do Auto da Liberdade nos mesmos moldes das gestões anteriores. Somando-se a isso, fazem 2 anos também que os conselheiros do Conselho Municipal de Politicas Culturais esperam para serem empossados. 

Ao contrário do que prometeu no período eleitoral, a gestão de Rosalba a frente da Prefeitura de Mossoró vem sempre colocando a cultura em segundo plano, inferiorizando-a. E isto sempre vem a tona quando nos aproximamos do mês de fevereiro, devido ao carnaval.

No ano de 2017, a gestão de Rosalba justificou a não realização do Carnaval de Mossoró para priorizar investimentos na saúde. No ano de 2018, a prefeita anunciou novamente a não realização do carnaval, dessa vez, devido a falta de segurança. E mais uma vez, neste ano de 2019, a gestão de Rosalba anunciou a não realização do carnaval justificando priorizar investimentos em obras na cidade. 

Após todas essas justificativas, a gestão da prefeita Rosalba Ciarlini tenta a todo momento provocar a empatia do cidadão para a melhoria dos serviços básicos, ao mesmo tempo que tenta disfarçar a má gestão municipal que dá subsídios para esses problemas continuarem existindo. 

Com isso nos cabe a seguinte pergunta: O que a cultura tem a ver com isso? Cadê os recursos da LOA (Lei Orçamentária Anual) destinada pro carnaval? E por que tentam enganar o cidadão fazendo-o pensar que esse dinheiro vai pra infraestrutura ou para outros serviços básicos, quando na realidade ele continuará na secretaria de cultura se não for utilizado até aparecer outra demanda da secretaria?

Ano após ano, a prefeita de Mossoró perde a oportunidade de resgatar o Carnaval de Mossoró e de fazer diferente, demonstrando verdadeiramente a prioridade com a cultura e o respeito com todos aqueles/as que trabalham direta ou indiretamente nos festejos carnavalescos, sejam eles os aderecistas, músicos, bailarinos, produtores ou artesãos.

Sabemos que os problemas fiscais são muitos e o contingenciamento de receitas são necessários, mas jamais poderemos acreditar que um orçamento de 30, 50 ou 80 mil fira o equilíbrio das contas e a execução de serviços básicos, sendo um impacto financeiro pouco expressivo pra gestão. 

Contudo, este mesmo orçamento sendo investida na valorização cultural carnavalesca da nossa cidade com uma programação artística-cultural e em blocos, troças, bailes, e porque não, através de uma premiação pros Ursos de Carnaval?! (personagem tão característico do carnaval da nossa cidade). Tudo isso geraria um impacto muito significativo na economia criativa da cidade. 

Muito se pode fazer, porém é preciso que haja verdadeiramente prioridade na valorização cultural da nossa cidade.

*Mykaell Bandeira é produtor cultural e pesquisador sobre políticas culturais