Entidade denuncia descarte de amostras de casos suspeitos do Covid-19

O Sindicato dos Servidores em Saúde do RN (Sindsaúde) destacou em seu instagram que o Laboratório Central Dr. Almino Fernandes (Lacen) lançou nota técnica afirmando que irá analisar apenas as amostras de casos suspeitos que se enquadrem em grupos de risco. 

Segundo a entidade, as amostras que serão analisadas pelo Lacen serão de pacientes que já se encontram com sintomas compatíveis por mais de 7 dias, e que se enquadrem em alguma das tais condições: "diabetes mellitus, hipertensão arterial, cardiopatia, doença pulmonar crônica, neoplasias malignas e gestação de risco -, pacientes com 60 anos ou mais e profissionais da saúde."

(Imagem: reprudição Sindsaúde)

Para o sindicato, a medida é preocupante, "pois vai abrir margem a uma 'cifra negra' de óbitos, que vão 'pular' de casos suspeitos a mortes, sem contanto ser possível apontar a confirmação do óbito ao Ministério da Saúde e fazer constar em seu atestado de óbito, pois aquela amostra foi descartada no laboratório".

O Laboratório justifica a medida como uma racionalização, inevitável em um contexto que está faltando testes para suprir a demanda crescente. Então analisar as amostras do grupo de risco seria a "primeira prioridade".

CAROL RIBEIRO RECOMENDA