Policiais atribuem fake news a "grupos bolsonaristas"

O Movimento de Policiais Antifascismo denuncia divulgação de notícia falsa que estaria relacionando nomes e de integrantes com o de milicianos.

O movimento atribui a atitude a "grupos bolsonaristas" e cobra, por meio de nota divulgada nas redes sociais, a responsabilidade penal, civil e administrativa sobre os que chamam de extremistas.

Veja a nota:

(Imagem: reprodução)

Apoio

O Núcleo Rio Grande do Norte da Associação de Juízes para a Democracia (AJD) divulgou nesta terça-feira (21) moção pública em favor do direito constitucional de liberdade de expressão dos Policiais Antifascistas. O movimento, que existe em outros estados do Brasil, reúne policiais civis, federais, rodoviários e, também, militares. O grupo reivindica a participação dos trabalhadores deste segmento na formulação de política de segurança pública e defendem entre outros temas os direitos humanos.

Na moção, a AJD-RN afirma que entende a criminalização aos movimentos sociais como “uma intimidação à democracia, uma discriminação ilegal e uma afronta aos valores e princípios constitucionais de solidariedade e de liberdade de expressão”. O movimento dos policiais têm recebido uma série de críticas nas redes sociais por sugerirem a constituição de uma “brigada antifascista contra a COVID-19”.

Saiba mais sobre o movimento de Policiais Antifascismo aqui:


POLÍTICA

ECONOMIA

MULHER

CULTURA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA


  • Absolutismo
    A máquina de moer reputações, subjugar opositores e manipular gente trabalha a pleno vapor em Mossoró. Campanha eleitoral é um vale tudo para quem está ent...
    Há 5 horas