Partido montará chapa coletiva só com mulheres

O PSOL de Mossoró, que desistiu de pré-candidatura à prefeitura, definiu que montará chapa para mandato coletivo.

O partido ainda busca filiar mais mulheres para cumprir a lei de cota de gênero. Mesmo assim, a intenção é compor a chapa para a disputa eleitoral com três mulheres.

Segundo entrevista à TCM 95FM, Telma Gurgel, que tentou trabalhar candidatura à prefeita, deverá ser a cabeça de chapa, que também terá Diana Silva, agricultora e agente de saúde, e Joriana Pontes, atriz. Juntas, elas devem trabalhar as temáticas que cada uma trabalha em atividades diárias: ativismo social, agricultura, área da saúde, cultura e luta LGBT.

Telma é também presidente do partido
(Foto: arquivo)

Como funciona o mandato coletivo ou mandato compartilhado?

Esta é uma nova forma de participação política, já posta em prática em algumas casas legislativas municipais e estaduais no país. Nele, o político cabeça de chapa se compromete a dividir seu gabinete (incluindo salário e cargos) e mandato com uma rede de pessoas, compartilhando sua gestão e votando de acordo com as deliberações desse grupo.  

POLÍTICA

ECONOMIA

MULHER

CULTURA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA