Governo explica por que não incluiu igrejas em novo decreto

Compartilhar

Em nota oficial, gestão estadual diz que não há recomendação científica sobre os templos religiosos

Representantes de igrejas evangélicas se reuniram com Governo
e devem manter diálogo sobre o assunto (Foto: web)

Segue a nota oficial do Governo do RN:

NOTA OFICIAL

O Governo do RN mantém o diálogo aberto com as instituições e entidades que representam as diversas atividades quanto às medidas a serem recomendadas e adotadas no enfrentamento à pandemia da covid-19, sempre levando em consideração as recomendações do Comitê Científico, ponto de partida às discussões e posteriores tomadas de decisão, que esta semana culminaram na edição de novo decreto governamental N° 31.265, de 17 de janeiro de 2022, em vigor a partir desta sexta-feira (21).

Nesse contexto, atividades como funcionamento de igrejas e templos religiosos não foram tratadas no decreto por não haver qualquer recomendação científica que aponte, no momento, a necessidade de alterações às medidas preconizadas em decretos anteriores.

O Governo do Estado, ciente da necessidade de ouvir e discutir o cenário com representantes de todas as atividades, atendeu à solicitação de reunião feita pela Ordem dos Pastores Evangélicos de Natal e, nessa quinta-feira (20) recebeu seus representantes, que levaram ao Gabinete Civil do RN a solicitação de manutenção do diálogo à medida que o atual quadro epidemiológico sofra alterações, e enseje necessidade de adoção de novas medidas mais restritivas.

E reforça que o Governo do Estado edita seus atos normativos, relativos ao enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, com base nas recomendações expedidas pelo comitê de especialistas.

Compartilhar

0 comentários em "Governo explica por que não incluiu igrejas em novo decreto"

Postar um comentário

Postagens anteriores → ← Postagens mais recentes
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
CAROL RIBEIRO RECOMENDA