quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Fátima, Rosalba e Álvaro Dias debatem pacto para saúde do RN

Compartilhar
(Foto: Ivanízio Ramos)
A governadora Fátima Bezerra reuniu, nesta quarta-feira, 30, o prefeito de Natal, Álvaro Dias; a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini;  equipes de gestores das secretarias municipais e estadual (Sesap), e parte do secretariado, com o objetivo de firmar um pacto interfederativo para enfrentar a crise da saúde pública.

O caminho apresentado pelo Governo do Estado é o fortalecimento da regionalização da saúde em todo o Rio Grande do Norte, começando pelas cidades-polo, e um plano emergencial de curto prazo para racionalizar recursos e pessoal no atendimento à população.

Plano

Como ação concreta e início do plano emergencial, foi instituído o grupo de trabalho permanente, formado pelos gestores da saúde e equipe financeira. O grupo terá como primeira missão analisar e encontrar os valores necessários para atender os serviços de saúde pública, dos municípios de Natal e Mossoró. Os gestores terão prazo de 8 dias para apresentar estes números ao Governo do Estado.

Apresentados estes dados, o Governo pretende estabelecer um fluxo mensal de repasses capaz de possibilitar a manutenção dos serviços de saúde de Natal e Mossoró, buscando reduzir as filas à espera de atendimento para cirurgias eletivas e exames, e por fim aos pacientes em corredores dos hospitais do estado.

Dívidas

A médio prazo, o Governo do Estado propõe a renegociação das dívidas não honradas por governos passados, a exemplo do que tem sido aplicado em outras áreas como dívidas a fornecedores e aos servidores públicos. Esta dívida com os municípios refere-se a repasses obrigatórios para manutenção de serviços como SAMU, farmácia básica, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que há anos não são respeitadas e os municípios têm arcado com toda a despesa.

Faz parte plano do atual governo, a criação de consócios regionais, por meio de cooperação financeira e implantação das policlínicas que já funcionam bem e apresentam excelentes resultados em estados como Ceará e Bahia. No início de fevereiro, o secretário Cipriano Maia e demais representantes do Governo farão visita técnica ao Ceará para conhecer de perto o funcionamento das policlínicas.

Filas 

O secretário Cipriano Maia apresentou números que demonstram a gravidade da crise no atendimento à população. O RN acumula 23 mil pedidos de ultrassonografias, 8 mil tomografias, 11 mil cirurgias eletivas. A formalização do pacto de cooperação entre Estado e Municípios e a aplicação de ações emergenciais possibilitarão a curto e médio prazos, reduzir o tempo de espera desses procedimentos, salvando vidas.

*Com informações da SECOM/Governo do RN