quarta-feira, 27 de março de 2019

Secretário de Planejamento explica que não há como aumentar índice de reajuste dos servidores

Compartilhar
Entrevista foi concedida à TCM Telecom
(Imagem: reprodução TCM)
Para explicar a definição do reajuste dos servidores públicos municipais, o secretário de Planejamento do município de Mossoró, Aldo Fernandes, fez um resumo de 2017 até 2019: "recebemos Mossoró com folha de pagamento com mais de R$ 30 milhões de débitos, com aumento concedido mas não pago. Tivemos que readequar esse reajuste dentro da atual gestão, dentro do que podíamos pagar, e hoje seria desrazoado dar um aumento sem poder pagá-lo. Comparando receita com despesas chegamos ao índice de 3,75%, dando aumento dentro da lei de responsabilidade fiscal".

Ele complementou que o município fechou o ano de 2018 com 48,5% do orçamento comprometido com folha de pessoal, "bem abaixo do limite prudencial". 

O secretário participou do programa Cenário Político da TCM Telecom, nesta terça-feira (26). 

"A próxima fase é dar um aumento que a gente possa equilibrar a necessidade dos servidores e a possibilidade da Prefeitura. Hoje, esse índice de 3,75% é o patamar maior", explicou.

FUNDEB

Sobre os recursos do FUNDEB, com os quais a prefeitura paga aos servidores da educação, Aldo Fernandes esclareceu que o recurso em 2018 foi de R$ 71 milhões, mas não é somente destinado a pagar a folha de pessoal.

"Temos que investir em outras dotações, não é somente para o pagamento".