Comunidade carcerária brasileira: 800 mil - Blog Carol Ribeiro

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Comunidade carcerária brasileira: 800 mil

RN tem taxa de aprisionamento de 251%
(Foto: Tribuna do Norte)
Por João Paulo Costa* 

Conforme informações divulgadas há duas semanas constantes no banco de monitoramento de prisões no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), partimos para a marca de 800 mil presos, somando o quantitativo de indivíduos condenados e os que ainda aguardam seu julgamento. Demonstra ainda o Sistema Integrado de Informações Penitenciárias (INFOPEN), que o encarceramento obteve um aumento considerável em contrapartida ao número de vagas disponibilizadas pelo sistema carcerário nacional.

O motivo que mais se prende hoje no Brasil, segundo dados do INFOPEN, são prisões relativas a crimes patrimoniais, ou seja, furtos e roubos, primordialmente; seguido do tráfico de drogas. A ocorrência desses crimes é acentuada em relação aos cometidos com violência contra à pessoa, quais sejam, homicídios, latrocínios e estupros. 

Ainda na produção de informações sobre o sistema carcerário brasileiro percebe-se a seletividade quando se leem dados que revelam que a maior porcentagem dos presos atualmente é de jovens, entre 18 e 29 anos de idade, grande maioria negros, com baixo poder aquisitivo (com pequenas diferenças quantitativas em alguns Estados do país) e baixa escolaridade (mais de 60% sem o ensino fundamental concluso). Quanto ao encarceramento feminino, uma faixa de aproximadamente 60% são mulheres negras, em condições de vulnerabilidade social, presas por tráfico de drogas ou transporte à terceiro, com filhos e baixa escolaridade.  

Situação bastante delicada, pois quando se observa o estigma social sofridos por estes egressos do sistema prisional em relação as oportunidades de posteriormente voltar ao convívio social e ao mercado de trabalho. A estigmatização social é por demasia tema complexo de se debater, isso pois, boa parte da sociedade enxerga essas pessoas como “inimigos” ou “seres nocivos” à sociedade e a serem combatidos. A seletividade penal impacta diretamente na tentativa de ressocialização desses indivíduos do sistema prisional.

Essas questões ensejam a discussão sobre a ineficácia e/ou falência do sistema prisional, que dificilmente cumpre sua função social de ressocialização dos egressos do sistema penal. Da mesma forma que a prisão é considerada por muitos como algo natural e inevitável, muitos se negam a refletir de forma crítica sobre os motivos e circunstâncias que se escondem por trás das prisões, as reais razões do encarceramento de milhares de pessoas, um retrato delicado da ausência de preocupação com a reinserção desses indivíduos na sociedade. 

Geopresídios é o nome do sistema que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançou para mapear o sistema prisional do Brasileiro. Que nos mostra não só números, ou dita políticas públicas a se fazer, mas dentre outras nos mostra uma realidade dura de encarar.

*João Paulo Costa é advogado Criminalista e Membro da Comissão de Direito Criminal da OAB/RN. 



CAROL RIBEIRO RECOMENDA

Tags

95 FM Aeroporto Alex do Frango Allyson Bezerra ALRN Amélia Ciarlini APAMIM APRAM Beto Rosado Blog Carol Ribeiro Bolsonaro Bombeiros Brasil Câmara Federal Campanha Eleitoral Candidatos Carlos Eduardo Alves CEF Cenário Político Claudio Santos CMM Comentário Congresso Nacional Conversa de Alpendre Cultura Debate DEM Denúncia Deputados Estaduais Deputados Federais DETRAN-RN Dilma Roussef Direitos da Mulher Direitos Humanos Economia Educação Eleições 2016 Eleições 2018 Eleições 2020 Esporte Ezequiel Ferreira Fafá Rosado Fátima Bezerra Feminismo Fernando Mineiro Fora Temer Francisco José Junior Garibaldi Alves Gastos Públicos Governo do Estado Governo do RN Governo Federal Greve Guarda Municipal Gutemberg Dias Haddad Henrique Alves Herval Sampaio Horário Eleitoral Hospital da Mulher HRTM IFRN Impeachment Impugnação Infraestrutura Isolda Dantas Izabel Montenegro Jorge do Rosário Jório Nogueira Jornalista José Agripino Josué Moreira Justiça Criminal Justiça do Trabalho Justiça Eleitoral Justiça Federal Larissa Rosado Lava Jato LDO LOA Lula MCJ MDB Meio Ambiente Meio Dia Mossoró Michel Temer Ministério da Saúde Ministério Público Eleitoral Mossoró Mossoró Cidade Junina Movimento Estudantil MPF MPRN Mulher Natal/RN Nayara Gadelha Novo Eleitoral OAB Opinião Pagamento Paralisação PCdoB Pesquisa de Opinião Petrobras PF PHS Plenário TCM PM-RN PMDB PMM Polícia Civil Política Política cultural Política eleitoral Política social Políticas LGBTs Políticas Públicas para as Mulheres PR Presidência da República Prestação de Contas PREVI-Mossoró Previdência Social Prisão Propaganda Eleitoral PSB PSD PSDB PSL PSOL PT Reajuste Rede Redes Sociais Reforma da Previdência Renúncia Ricardo Motta RN Robinson Faria Rosalba Ciarlini Sandra Rosado Saúde Saúde da Mulher Secretária Estadual de Saúde Secretaria Estadual de Segurança Secretaria Municipal de Saúde Secretariado Segurança Senado Serviços Terceirizados Servidores Setor Salineiro SindGuardasRN Sindiserpum Sindsaúde/RN SINSP SINTE Solidariedade STF Styvenson Tapetão TCE-RN TCM Teatro Lauro Monte Tião Couto Tibau TJRN Trânsito e transporte TRE-RN TSE UERN UFERSA Vereadores Vice Violência contra a mulher