Descumprimento de protocolos sanitários no reveillón terá medidas do MPRN

Compartilhar

(Imagem: web)

MPRN reforça que tomará as providências cabíveis para responsabilizar as autoridades municipais competentes

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) garante que permanece observando o real cumprimento de protocolos sanitários para evitar a propagação de uma nova onda de coronavírus no Estado.

A instituição reforça que caso haja leniência, fraude ou falta de fiscalização atribuível às Prefeituras municipais, especialmente em caso de se confirmar danos à saúde pública, tomará as providências cabíveis para responsabilizar as autoridades competentes.

O MPRN lembra que participou de reuniões com o Governo do Estado e com a Prefeitura de Natal buscando o estabelecimento de regras mais rígidas em razão da segunda onda da Covid-19, especialmente no que se refere às festas de fim de ano e carnaval.

Chegou-se a um consenso e foram vedadas as festas com recursos públicos (Natal, réveillon e carnaval), e fixado o limite de 50 pessoas para as festas privadas.

Em municípios que não vedaram eventos de massa e onde já estavam previstos grandes eventos, o MPRN ajuizou Ações Civis Públicas buscando as medidas restritivas. O MPRN obteve liminares, mas algumas foram revertidas pelo TJRN.

O MPRN recorreu ao próprio TJRN, sem êxito. Ademais, recorreu ao STF, mas a decisão também foi desfavorável.

Especificamente relacionado à praia de Pipa e ao município de São Miguel do Gostoso, a situação é favorável aos municípios.

Quanto à fiscalização dos protocolos estabelecidos pelos decretos municipais de Tibau do Sul, onde fica a praia da Pipa, e São Miguel do Gostoso, compete às referidas Prefeituras, através da vigilância sanitária e epidemiológica, tomar tal medida. 

Compartilhar

0 comentários em "Descumprimento de protocolos sanitários no reveillón terá medidas do MPRN"

Postar um comentário

Postagens anteriores → ← Postagens mais recentes
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
CAROL RIBEIRO RECOMENDA