Jacarezinho e as estratégias do genocídio negro brasileiro: até quando?

Compartilhar

Nos dias atuais, os alvos desse genocídio continuam e, potencialmente, as vítimas são pessoas negras, em razão do racismo presente na sociedade

(Foto: Arthur Stabile/ Ponte Jornalismo/ arquivo)

Por Ady Canário*

Nossos corações estão entristecidos por tantas vidas ceifadas, neste dia 06 de maio de 2021, na comunidade do Jacarezinho-RJ. Já são mais de 25 vidas, sonhos destruídos e famílias afetadas. Além da dor pelas mais de 400 mil pessoas mortas pela Covid-19 no Brasil. Nossa solidariedade aos/às enlutados/as. Até quando esse genocídio contra corpos negros e favelados?

Abdias Nascimento, ativista do movimento negro brasileiro, já denunciava o genocídio aplicado aos negros, desde o período colonial, cujo fundamento reside no processo do racismo mascarado por meio da branquificação da raça como uma estratégia. Naquele momento, esse mecanismo já demarcava o que ele chama de uma "liquidação da raça negra no Brasil".

Nos dias atuais, os alvos desse genocídio continuam e, potencialmente, as vítimas são pessoas negras, em razão do racismo presente na sociedade. Inclusive, reiteramos o importante papel que a mídia exerce em falar sobre esse tema, desnaturalizar algumas práticas e discursos sobre o assunto. Ademais, as estatísticas crescem cada vez mais. E não são somente números.  São vidas e futuros destruídos por uma necropolítica. Conheça a campanha “Alvos do Genocídio” em  https://coalizaonegrapordireitos.org.br/.

Por esse motivo, reafirmamos que “Vidas Negras Importam”, sim!  Aqui transcrevemos um trecho da “Nota Pública”, publicada pela Coalizão Negra por Direitos, assinada por organizações, coletivos, ONGs que atuam no Jacarezinho: "Não há outro nome para o que acontece nas favelas e periferias, o que vivemos é genocídio contra a população negra desse país. Diante dessa realidade de extermínio, seguimos com o mesmo questionamento: quais vidas importam?" Acesse o texto completo aqui.

Também lançou um Manifesto denunciando a sistêmica violência racista, em mais uma ocorrência, e exigindo diversas medidas pelo fim do genocídio negro: “Racismo e Genocídio sem fim: Manifesto da Coalizão Negra por Direitos sobre a Chacina do Jacarezinho – Rio de Janeiro – Brasil”. Confira aqui

Lamentamos muito esse acontecimento e que escancara o racismo presente na sociedade brasileira. Que façamos do luto a nossa luta, reafirmando que: Vidas Negras Importam, sim! Basta de racismo e de genocídio para com a população negra e favelada! 

* Ady Canário é professora do Departamento de Ciências Humanas (DCH) da Universidade Federal do Semi-Árido (UFERSA) e pesquisadora do Coletivo NEGRAS – Núcleo de Estudos de Gênero, Relações Étnico-Raciais, Aprendizagens e Saberes. 

** As opiniões contidas neste texto não refletem necessariamente o posicionamento do Blog Carol Ribeiro.


Compartilhar

0 comentários em "Jacarezinho e as estratégias do genocídio negro brasileiro: até quando?"

Postar um comentário

Postagens anteriores → ← Postagens mais recentes
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
CAROL RIBEIRO RECOMENDA