Protesto pela insalubridade Covid-19 expõe o adoecimento dos servidores da Saúde

Compartilhar
O protesto foi realizado na manhã desta terça-feira (30) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Belo Horizonte


Na manifestação, a presença de vários servidores da Saúde, não só plantonistas, segmento mais afetado pela retirada dos 40% da insalubridade Covid-19 por parte da gestão Alysson Bezerra.

Em suas falas, algumas emocionadas, servidores chamaram a atenção para as vidas perdidas de profissionais que atuaram naquela Unidade e as consequências psicológicas ainda vividas por eles até os dias atuais e a necessidade de uma valorização de verdade, ao invés de uma retirada de direitos em um momento tão tenso como agora, quando a pandemia ainda mostra sinais de evolução e de variações do vírus.

Eliete vieira, presidente do Sindiserpum chamou a atenção de que os recursos federais não deixaram de chegar aos cofres da Prefeitura de Mossoró, conforme informações repassadas à diretoria: “Se consultarmos o site do Fundo Nacional de Saúde vamos verificar que Mossoró continua recebendo dinheiro para o combate à pandemia, não é justo tirar direitos daquele que mais precisa de amparo neste momento, que está cuidando das outras vidas e arriscando a sua”.

No último dia 11, o prefeito Alysson Bezerra publicou no Jornal Oficial de Mossoró (JOM), a portaria nº 676/2021, revogando portaria anterior, de número 696/2020, publicada em maio do ano passado, que assegurava 40% de insalubridade aos profissionais da Saúde que estivessem na linha de frente ao enfrentamento à pandemia de Covid-19.

*Com informações do SINDISERPUM
Compartilhar

0 comentários em "Protesto pela insalubridade Covid-19 expõe o adoecimento dos servidores da Saúde"

Postar um comentário

Postagens anteriores → ← Postagens mais recentes
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
CAROL RIBEIRO RECOMENDA