"Professores não querem greve, mas farão se forem forçados"

Compartilhar

Postagem de vereadora mossoroense se refere também à falta de definição, por parte do Executivo mossoroense, sobre o piso do magistério

Vereadora Marleide Cunha (PT), que também é dirigente sindical, levanta a bandeira pelo cumprimento do piso (Imagem: redes sociais)

A cobrança, via redes sociais, da vereadora oposicionista Marleide Cunha (PT) demonstrou o tom da assembleia dos servidores da educação da rede pública municipal, que aconteceu na terça-feira (1).

Mais de 300 professores e professoras participaram da assembleia convocada pelos Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum).

O reajuste do Piso conforme determinado pelo MEC, o direito à férias conforme a lei nº 070, e com isto a correção do calendário escolar deste ano e a reforma da previdência municipal foram os pontos mais debatidos.

“Foi uma grande demonstração de que estes profissionais estão atentos e não irão aceitar passivamente que a gestão retire seus direitos. Apesar de não ser possível fazer a assembleia de forma presencial, mas fomos surpreendidos com a quantidade significativa de professores e professoras presentes e também de suas participações no formato virtual. Iremos sim, combater o que vier para frente e mostrar a força que sempre demonstramos quando necessário”, comenta a presidente do Sindiserpum, Eliete Vieira.

Compartilhar

0 comentários em ""Professores não querem greve, mas farão se forem forçados""

Postar um comentário

Postagens anteriores → ← Postagens mais recentes
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
CAROL RIBEIRO RECOMENDA