Banner CMM

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Servidores protestam contra fechamento do Hospital da Mulher

Compartilhar
Servidores do Hospital da Mulher, com apoio de união de sindicatos - SINDISAÚDE, SINDISERPUM, SINTRAPAM - manifestaram, na manhã de hoje, indignação com a decisão de fechamento do Hospital da Mulher.

A decisão foi tomada em reunião realizada ontem (28) entre Justiça Federal, Estadual e do Trabalho, além de representantes do Estado e a junta interventora da Casa de Saúde Almeida Castro.

O fechamento do Hospital da Mulher se dará através da transferência de sua estrutura de equipamentos e médicos para a Maternidade Almeida Castro.

Dentro das determinações, a partir da transferência, o Estado deve repassar mensalmente o valor de R$ 438 mil para custeio de despesas. Além disso, passar a manter a UTI pediátrica que funciona no Hospital Wilson Rosado. Com isso, a UTI pediátrica que seria instalada na Maternidade Almeida Castro não deve mais acontecer, mas sim ampliada a UTI neonatal. 

Na reunião, também foi discutida a possibilidade de finalizar a intervenção nessa maternidade, para que volte a ser custeada por administradores.

Servidores em protesto contra fechamento do HM em 2015
(Foto: Sindsaúde)
Os sindicatos e servidores do Hospital da Mulher não concordam com a decisão, e insistem para que o governador Robinson Faria passe a investir na unidade de saúde. Eles planejam para a próxima sexta-feira (30) um protesto maior descendo a avenida Presidente Dutra.

Com o fechamento do Hospital da Mulher, os 362 servidores da Secretaria Estadual de Saúde que atuam na unidade devem ser relocados para outros postos, como o Hospital Regional Tarcísio Maia.

Nota do Blog - Desde o ano passado, os trabalhadores tentam evitar a situação, que deve prejudicar, e muito, as mães de Mossoró e região.