quarta-feira, 22 de maio de 2019

Fátima Bezerra diz que não cortou da Educação e que cobriu contingenciamento do Governo Federal

Compartilhar
Em Mossoró, Fátima participou do Brazil Conference
e cumpriu agenda em Caraúbas (Foto: divulgação)
Sem muita explicação, a governadora Fátima Bezerra foi enfática: "Contra fatos não há argumentos". Foi assim que ela, em sua passagem por Mossoró nesta terça-feira (21), explicou que não realizou qualquer contingenciamento na educação.

Ela falou sobre isso quando destacou as  providências que já tomou pelo equilíbrio financeiro do Estado. Entre as chamadas medidas "macro", a gestora frisou o contingenciamento que fez em algumas áreas.   


"Só não cortamos em segurança e educação, que são sagrados. Pelo contrário, eu vou fazer a assinatura simbólica de R$ 3,6 milhões para a UERN, justamente os que foram contingenciados pelo Governo Federal", garantiu em entrevista no programa Meio-Dia Mossoró, da TCM 95 FM.

Reforma da Previdência


A governadora admitiu que está esperando o Governo Federal tomar as duras medidas da Reforma da Previdência. "Claro que sim. É o que os Estados estão fazendo".

Ela esclareceu, no entanto, que os governadores do Nordeste têm uma posição contrária ao projeto apresentado pelo presidente Bolsonaro. "Não vamos participar de um debate com aquelas medidas como reduzir em 60% o benefício da prestação continuada do povo pobre, nem mexer na aposentadoria do trabalhador rural, somos contra a desconstitucionalização e os sistema de capitalização. A reforma se faz necessária, mas deve se restringir ao limite atuarial e limite de idade. Se não, ela trará sérias consequências para aumentar desigualdade social", afirmou 

A entrevista completa vai ao ar no programa Plenário TCM, na TCM Telecom, no próximo domingo, às 20h.