terça-feira, 5 de novembro de 2019

Votação de reajuste de 16,38% para servidores é aprovado na Assembleia Legislativa; Veja quem votou contra e a favor

Compartilhar
(Imagem: reprodução)
A emenda do deputado Nelter Queiroz, que estende o reajuste de 16,38% a todos os servidores estaduais teve aprovada sua votação em plenário na Assembleia Legislativa (ALRN) nesta teça-feira (05).

A decisão aconteceu após Nélter apresentar no plenário um recurso à decisão da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) que rejeitou a emenda na semana passada.

A maioria dos deputados resolveram votar contra posicionamento do Governo, que defende o reajuste apenas para procuradores estaduais.

A expectativa é que tanto o projeto original, que aumenta os salários dos procuradores em 16,38%, quanto a emenda de Nélter Queiroz sejam votados na sessão plenária desta quarta-feira, 6. A data exata será estabelecida pelo presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), que controla a pauta de votações.

De acordo com informações do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Direta do RN (SINSP) votaram a favor os deputados Nelter Queiroz (MDB), Kelps Lima (SD), Allyson Bezerra (SD), Tomba Farias (PSDB), Sandro Pimentel (PSOL), Ubaldo Fernandes (PL), José Dias (PSDB), Hermano Morais, Gustavo Carvalho (PSDB), Galeno Torquato (PSD), Getúlio Rego (DEM) e  Cel Azevedo (PSC).

Votaram contra: Francisco do PT, George Soares (PL), Raimundo Fernandes (PSDB), Kleber Rodrigues (MDB) e Vivaldo Costa (PSD). 

Os deputados que faltaram à sessão foram: Isolda Dantas (PT), Eudiane Macedo (PTC), Souza Neto (PHS), Dr Bernardo (AVANTE), Albert Dickson (PROS) e Cristiane Dantas (SD).

Leia mais:

Servidores pedem a Fátima reajuste de 16,38% e avisam: “acabou a trégua”

Protesto contra reajuste para procuradores será tema de audiência com governadora

Plano B da Reforma da Previdência, eleições em Mossoró e concurso: veja entrevista com governadora Fátima Bezerra

*Com informações do Agora RN, Diário Político e Blog Carol Ribeiro

** Texto editado às 16h45 de 05/11/19