No RN 420 pessoas estão em estado grave | Blog Carol Ribeiro No RN 420 pessoas estão em estado grave | Blog Carol Ribeiro

sexta-feira, 22 de maio de 2020

No RN 420 pessoas estão em estado grave

A gestão estadual alertou hoje (22) que o momento de combate ao novo coronavírus exige ainda mais articulação entre cidadãos, empresas, instituições e prefeituras, junto ao Governo do Estado, para aumentar o isolamento social, que é a única forma de reduzir a disseminação do vírus e a crescente ocorrências de casos de Covid-19 que levam a óbitos.

Os números oficiais apurados até o final da noite desta quinta-feira (21) registram 420 pessoas internadas, entre casos confirmados e suspeitos. A fila da regulação, ou seja, as pessoas que estão aguardando internação em leitos específicos para Covid-19, tinha até o final da manhã desta sexta-feira (22) 13 pacientes com prioridade 1 (UTI), 6 com prioridade 2 (semi-uti) e 50 pessoas com prioridade 3 (enfermaria e estabilização).

Este quadro de superlotação aproxima a rede hospitalar do colapso. A taxa de ocupação de leitos críticos e clínicos na rede pública é de 96% em Natal e região Metropolitana; 97% em Mossoró; 58% no Seridó e 25% em Pau dos Ferros.

"Estamos abrindo leitos, mas se não aumentar o isolamento social, vamos chegar ao colapso em breve. A sociedade tem que fazer valer os decretos e as orientações. Cada um é responsável por isso. A administração pública pode fazer muita coisa e está fazendo, mas, efetivamente, quem faz acontecer o isolamento é cada um de nós", pontuou o secretário adjunto de Saúde Pública do RN, Petrônio Spinelli.

(foto: sandro menezes)

Hospital Rafael Fernandes

Ontem o Governo do RN abriu mais 14 leitos de UTI com respiradores em Mossoró, no Hospital Rafael Fernandes, sendo 2 de estabilização e 12 clínicos. 

A informação do Executivo Estadual é de que deverá abrir mais 10 vagas no Hospital São Luiz. Em Natal, avança a viabilização de leitos na Liga Norte-rio-grandense contra o Câncer. A previsão é abrir de 10 a 20 leitos nos próximos dias.

Nenhum comentário



POLÍTICA

ECONOMIA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA