Covid-19: transmissibilidade é alta em 77 municípios do RN

A situação da taxa de transmissibilidade (Rt) da Covid-19 no RN nesta segunda-feira (03) apresenta um quadro desconfortável que pode levar ao aumento do número de casos da pandemia. Há 77 municípios em zona de perigo por apresentarem a taxa acima de 2. Os municípios polo regionais e de maior população apresentam maior gravidade.

Em Pau dos Ferros e São Gonçalo a taxa é de 5, ou seja, uma pessoa contaminada transmite para outras 5 pessoas. Em Caicó, onde houve aumento na incidência, a taxa de transmissibilidade chega a 1.63. Em Santa Cruz, na região Trairi, a transmissibilidade é de 1.08. Em Mossoró, atinge 1.25 e em Natal é de 1, mas municípios vizinhos - além de São Gonçalo, já citado - como Parnamirim e Macaíba também têm taxas preocupantes - 1.21 e 1.24, respectivamente. Outros 55 municípios têm taxa entre 1 e 2, que representam grande risco. 

Pau dos Ferros apresenta a taxa mais alta do estado
(Foto: Mídia Positiva)

Pesquisadores afirmam que um Rt acima de 1 ainda é preocupante: se uma pessoa ainda contamina pelo menos uma outra, o número de casos tende a crescer exponencialmente.

"A pandemia não passou. Por isso fazemos mais uma vez o chamamento para todos mantermos as medidas de precaução. Não é hora de relaxar, mas de reforçar os cuidados. As medidas protetivas precisam ser mantidas pela população, pelos empresários e pelos municípios. O Governo continua disponível para apoiar as prefeituras nas ações locais de proteção e assistência à população", afirmou Alessandra Luchesi, Subcoordenadora de vigilância sanitária da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) na coletiva de imprensa para apresentação da atualização dos dados epidemiológicos e das ações da administração estadual no enfrentamento à pandemia.

O Secretário de Estado de Gestão de Projetos e Metas, coordenador do Programa Governo Cidadão e do Pacto Pela Vida, Fernando Mineiro disse na ocasião que os índices positivos, como a queda na taxa ocupação de leitos, agora se fazem acompanhar do aumento na taxa de transmissão. "Isso é muito preocupante por que tem relação com a disseminação da doença e novos casos". 

POLÍTICA

ECONOMIA

MULHER

CULTURA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA