Para Governo, subnotificação é motivo da alteração na média de mortes

O assunto desde ontem (4) é o retorno ao "vermelho" da média de mortes pela Covid no RN.

O dado foi trazido pelo Jonal Nacional, no quadro que mostra a "média móvel" do coronavírus no país. Lá, o Rio Grande do Norte começou com a denominação “em alta”, no segundo dia estava amarelo “em estabilidade”e passou mais de vinte dias azul “em baixa”.

Há três dias, voltou ao amarelo e ontem retrocedeu ao vermelho, com mortes em alta.

(Imagem: reprodução)

Hoje (5), A subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Alessandra Luchesi, na coletiva os dados epidemiológicos, expôs o processo de coleta para a tabulação de dados pela Sesap, cuja obtenção passa por etapas. Os números obtidos vêm tanto de laboratórios privados, quanto do sistema de notificações oficial do Ministério da Saúde e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) da Sesap. 

O fluxo de informações inicia a partir do momento em que o paciente é atendido numa unidade de saúde, que faz a notificação do caso. Alguns municípios atualizam informações mais rapidamente do que outros. Dessa forma, podem aparecer dificuldades no fluxo, fazendo com que alguns casos só sejam contabilizados dias depois. 

Ou seja, no último sábado a Sesap confirmou 102 novas mortes que estavam em análise até agora e isso aumentou a “média móvel” no Estado.

Ontem, o RN chegou a 1.926 mortes . Foram incluídas 32 a mais do que as que haviam sido confirmadas até segunda-feira (3). Mas dessas apenas dois óbitos foram confirmadas nas últimas 24 horas.

Mais de 200 mortes continuam sob investigação e essa possível confirmação poderá gerando oscilações e surpresas do RN no mapinha do Jornal Nacional.

*Com informações do Governo do RN e do Território Livre

POLÍTICA

ECONOMIA

MULHER

CULTURA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA