Rosalba Ciarlini continua favorita, mas enfrenta desejo de mudança do eleitor

(Foto: divulgação campanha)


Com 32,78% das intenções de votos na pesquisa estimulada TCM/TS2, e 29,32% na espontânea, Rosalba Ciarlini segue favorita na campanha eleitoral.

Ela mantém não só vantagem numérica, como também detém a máquina municipal, além de experiência política e eleitoral.

Sua cristalização dos votos - os eleitores que afirmam ter convicção do voto - estabeleceu-se em 86,72% do seu eleitorado.

No entanto, não só a sondagem da TCM, mas todas as outras realizadas desde a pré-campanha, mostram uma Rosalba com poderio atual bem aquém da capacidade política que o grupo já chegou a exibir em outros tempos.

Leia mais: 
A diferença de quase 8 pontos percentuais em relação à Allyson Bezerra - com quem estabeleceu-se a polarização da campanha - é pequena, ainda mais se tratando de um candidato novo e "inexperiente" como a militância governista tem pregado.

(Imagem: reprodução TCM)


Os índices de 'ótimo' e 'bom' do seu governo - somando 35% - esbarram no sentimento de mudança do eleitor: 43% diz querer mudar a gestão do município. Soma-se a isso sua rejeição, a maior entre o candidatos: 25%. Do total de entrevistados, apenas 27% demonstram desejo de continuidade. 

As intenções de voto (32%) próximas ao índice ótimo/bom do governo Rosalba (35%) mostram um afunilamento das chances de crescimento dentro da campanha.

A via de saída da prefeita na busca pela reeleição, diante do quadro apresentado, é concentrar forças mais no ataque ao opositor, inclusive com a ajuda dos demais candidatos da oposição, que já apresentaram tendência de se opor mais a Allyson, do que à própria Rosalba.

Por mais que os atuais eleitores de Allyson possam rejeitar a prefeita, sua vitória estará garantida se parte deles migrarem pra outros nomes da oposição que atualmente figuram fora dessa polarização.

Marcadores

Mostrar mais

POLÍTICA

ECONOMIA

MULHER

CULTURA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA