terça-feira, 9 de abril de 2019

Prefeitura diz que não há escolas paradas; Sindicato revida e afirma que Executivo mente

Compartilhar
O comunicado da Prefeitura é claro:

"A Prefeitura de Mossoró informa que não há nenhuma escola totalmente sem atividade no Município. A greve iniciada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais hoje conta com a adesão de apenas uma parcela dos professores da rede municipal de ensino.

São 46 escolas funcionando de forma normal e 48 de forma parcial, com um número reduzido de professores participando do movimento de paralisação. Já com relação às Unidades de Educação Infantil (UEI´s), apenas 5 estão paradas totalmente, de 94 existentes na rede. Escolas como Ricardo Vieira do Couto, na comunidade do Jucuri, zona rural, e Marineide Pereira, no Santa Delmira, que estavam completamente paradas, retornaram às atividades ontem com todos os professores em sala de aula. Enquanto isso, a Escola Municipal Manoel Assis, no Boa Vista, que também contava com adesão de 100%, agora são apenas 4 professores que ainda seguem em greve.

Pelas informações apuradas pela Secretaria de Educação nesta terça (09), o número de retorno de professores à sala de aula deve aumentar amanhã."

(Imagem: Free Image)
Do outro lado, os servidores, através do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindiserpum) rebatem o Executivo Municipal e garantem que a gestão tem quatro pilares na greve dos professores: "mentira, rejeição ao diálogo, tirania e irresponsabilidade".

Veja parte da nota e prinicipais ítens elencados pelos professores abaixo:

Uma greve que poderia ter se resolvido facilmente não fosse a gestão desmascarar-se revelando a sua incompetência humana para o diálogo. Essa rejeição ao diálogo é um obstáculo ao funcionamento da sociedade, prejudicando o bem comum. A prefeitura de Mossoró mente compulsivamente para minimizar as consequências desastrosas de uma greve que já passa dos 30 dias sem ter ocorrido uma única reunião para se buscar um entendimento. Os professores têm um compromisso com a verdade, por isso vamos DESMENTIR mais uma vez as notas publicadas pela gestão, ponto a ponto:

1 - É MENTIRA dizer que a escola Manoel Assis tem 4 professores em greve. A VERDADE é que tem 28 professores em greve. Apenas 2 efetivos e um temporário estão trabalhando.

2 - É MENTIRA dizer que a escola Marineide Pereira voltou a trabalhar 100%. A VERDADE é   que 10 professores continuam em greve e 7 não resistiram à crueldade da Gestão Rosalba.

3- É MENTIRA dizer que paga o Piso Salarial Nacional. A VERDADE é que o Piso Nacional é  o alicerce da carreira do professor e a prefeita  Rosalba está destruindo esse alicerce implantado a desvalorização da carreira docente. 

4- É MENTIRA insinuar que quem não está em greve é porque apoia a gestão. A VERDADE é que a gestão Rosalba diminuiu a quantidade de professores efetivos, contratando professores temporários, horas extras e professores em permuta, o que precariza as relações de trabalho e os vínculos de afetividade com a comunidade escolar.

5- É MENTIRA dizer que há 94 UEIS na rede. A VERDADE é que esse número é relacionado a toda a rede municipal de ensino urbana e rural. 

6- É MENTIRA que a prefeita está pagando as classes. A VERDADE é que ela publicou apenas 50 ( por força da greve) e existem mais de 300 atrasadas desde 2017.

7- É MENTIRA que a prefeita pagou todo o prêmio  14 salário. A VERDADE é que esta gestão nem publicou ainda a lista das escolas  premiadas no ano base 2017. Outra VERDADE é que a quantidade das escolas premiadas diminuem a cada ano.

(Marleide Cunha, presidente do Sindiserpum)

*Com informações da SECOM/PMM e Assessoria/ Sindiserpum