Coronavírus muda os planos de Rosalba Ciarlini

Estava tudo caminhando bem, empréstimo de R$ 148 milhões garantido para obras de infraestrutura, que teriam parte do valor utilizado ainda neste ano eleitoral de 2020.

Articulações no campo de contratações e regulamentações de cargos foram efetuadas. No último 18 de dezembro, por exemplo, a Câmara chegou a votar criação e regulamentação de 30 cargos de assistência social.

O Mossoró Cidade Junina vinha sendo organizado pela primeira vez na gestão com a antecedência necessária para projetar o evento turisticamente Brasil à fora e garantir captação de recursos de modo a fazer uma festa para encontrar o Nordeste todo aqui. E principalmente os mossoroenses não se esquecerem.

Mas com a crise gerada pela pandemia da Covid-19, a prefeita Rosalba Ciarlini foi obrigada a mudar os planos para este ano de campanha. A causa é (muito) justa, mas agora ela precisa se apoiar em outra base para conseguir garantir o reforço na popularidade que planejava.

A saúde, embora seja um dos três pilares fundamentais de uma sociedade, não parecia ser prioridade da prefeita. Afinal, em três anos de gestão ainda víamos muitas faltas: continuavam os constantes bloqueios de contas para pagamentos de pendências da saúde, pendências também com pagamento do transporte de pacientes, eletivas permanecem paralisadas, diabéticos sofrem constante dificuldade em obter via prefeitura suas insulinas, a falta de solução para o problema de estrutura para os pacientes mentais do Hospital São Camilo continua, sem esquecer a falta constante de medicamentos e insumos nas unidades de saúde que são relatadas pelos leitores. 


(Foto: autor não identificado)

Pela Lei orçamentária anual para 2020, estavam fixados R$ 174.603.983,00 para a saúde. Valor um pouco maior que o que foi previsto para o ano de 2019 (R$ 161.544.251), quando nem todos - ou pouquíssimos - problemas tiveram solução.

A crise da Covid-19 obrigou Rosalba a agir como a médica que é e se voltar para a saúde, a ter que pensar os seus problemas estruturais e pensar soluções rápidas.

O desafio agora é maior, mas traz a vantagem de que se as saídas implementadas forem concretas podem salvar muitas vidas, para além da crise pandêmica.

Nota do Blog - O Blog entrou em contato com a secretaria municipal de Planejamento para dados sobre o valor de recursos extras investidos, até agora, no combate ao coronavírus, mas ainda não recebeu retorno.

POLÍTICA

ECONOMIA

MULHER

CULTURA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA