A polêmica do lockdown no RN e em Mossoró

O Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde), regional Mossoró, entrou com uma ação popular solicitando a decretação de lockdown por um período de pelo menos 15 dias. A justificativa é o  avanço do coronavírus na cidade, causado pela abertura do comércio pela Prefeitura, e o risco que os profissionais da saúde vivenciam com o alto índice de infecções e mortes. A prefeitura tem 72 horas para se manifestar sobre o assunto. Veja a ação na íntegra aqui.

Por outro lado, o Sindicato dos Médicos (Sinmed) emitiu nota e pediu para ser ouvido na ação judicial impetrada pelo Sindsaúde. A entidade se mostra contrária ao lockdown e a favor do tratamento precoce com a hidroxicloroquina e do isolamento vertical. Os médicos ainda questionam ocupação dos leitos no Estado. Veja nota na íntegra:


(Imagem: reprodução)
O assunto têm causado debate no RN desde a semana passada, quando os estados vizinhos do Ceará e Maranhão determinaram o lockdown em algumas de suas cidades. 

Leia mais:


Desde o começo da pandemia, a classe empresarial tem se mostrado a favor do abrandamento das medidas de isolamento. O lockdown, para este grupo, é fora de cogitação. O discurso de grupos políticos nesse sentido tem acalorado o debate, levando a uma ideologização da questão, com o levantamento do falso dilema "a vida ou a economia". 

Na capital Natal, vereadores levaram o assunto ao limite abaixo do nível ético com gritos e palavrões durante sessão desta quinta-feira (14). Veja abaixo:


(Vídeo extraído da sessão de 14/05/2020)

Parte da população tem visto a medida de forma radical. Contribui para isso a falta de informação sobre o lockdown. Muitos pensam ser uma proibição total da circulação nas ruas, até mesmo da ida aos supermercados. Um áudio que circulou no whatsapp nesta quinta-feira (14) buscou causar pânico estimulando a população a estocar comidas já que o Governo do RN teria anunciado o decreto. O áudio, e as informações contidas nele, eram falsos.

O Governo do Estado e a Prefeitura de Mossoró divulgaram, através de notas, que não há, neste momento, previsão de decretação de lockdown.

A Prefeitura informa que está observando a evolução dos casos. Por enquanto não há intenção de fechamento total, mas as medidas de fechamento do comércio e serviços estão mantidas.

Já o Governo do RN explicou que para evitar a necessidade de o Estado ter que decretar o isolamento total obrigatório, algumas medidas devem ser tomadas agora. A pactuação e um maior comprometimento das prefeituras, instituições e cidadãos comuns com as regras de proteção previstas no decreto do Governo do Estado para o enfrentamento à pandemia do coronavírus são condições que antecedem a decretação de lockdown. 

Então, a população  - a mesma que está nas ruas - é quem vai definir se chegaremos a isso.

CAROL RIBEIRO RECOMENDA