Comunidade Gangorra reclama de continuidade de problema ambiental que existe há mais de um ano

Protesto adentrou a noite e interrompeu retorno de
veranistas à Mossoró (Foto: cedida)
Antes do natal, no domingo (22), os moradores da comunidade Gangorra fecharam a RN-013, entre Tibau e Mossoró, para um protesto. Eles reclamam da impestação de moriçocas que, segundo eles, é causada por um viveiro de camarão, no período de despesca, há mais de um ano.

Na data, os moradores das comunidades Lagoa de Salsa, Vila Nova e Vila União também participaram da interdição da via e entraram em contato com o Idema, Ministério Público e secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Tibau.

Mas hoje (30), oito dias depois, nenhum avanço aconteceu, e o problema continua.

A equipe do Posto Avançado do Idema chegou a enviar uma equipe de fiscalização ao local, na última quinta-feira (26), para averiguar a situação e garantiu aos moradores a entrega de um relatório no prazo de 15 dias.

Segundo os manifestantes, o Instituto chegou a mencionar a possibilidade do problema ser originado nos lixões de Grossos e Tibau, mas os moradores alegam ao Blog que as comunidades próximas aos lixões não sofrem com a proliferação dos mosquitos.

Veja cobertura completa do protesto, realizada pela TCM Telecom, com o repórter Alexandre Fonseca:

Reportagem exibida no TCM Notícia (TCM Telecom) em 23/12/19




POLÍTICA

ECONOMIA

MULHER

CULTURA

CAROL RIBEIRO RECOMENDA